Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

 

Ataques de Pânico

 


Na Clínica da Vinci o tratamento dos Ataques de Pânico é feito de forma integrada e multidisciplinar, partindo sempre da premissa de que a solução depende sobretudo de perceber a sua causa.

 
Feito o diagnóstico, actuamos no campo psicológico e emocional do paciente, de forma a combater a ansiedade que desencadeia o desequilíbrio.

 
A terapia inicia-se com uma consulta de Medicina Quântica, onde é feita uma análise aos níveis físico, psicológico e emocional, promovendo-se de seguida as medidas para corrigir os desequilíbrios detectados.

  
Consoante as necessidades terapêuticas específicas, será elaborado um plano de tratamento multidisciplinar, que pode integrar áreas clínicas como:

 

 

Os Ataques de Pânico, também conhecidos por Crises de Ansiedade, podem definir-se como situações patológicas que surgem de forma inesperada e sem um motivo que o justifique.

 

Durante o ataque existe uma marcada e intensa sensação de temor, acompanhada de vários sintomas como:

 

  • Palpitações
  • Sensação de falta de ar
  • Dor ou sensação de opressão no peito
  • Medo de morrer ou de enlouquecer
  • Sensação de irrealidade
  • Ondas de calor
  • Sensação de desmaio

 

Ao nível cerebral observam-se nestas situações alterações fisiológicas dos níveis de determinados neurotransmissores, nomeadamente da norepinefrina, serotonina e ácido gama-aminobutírico.

 

Apesar de durar apenas alguns minutos, a vivência de um ataque de pânico é uma experiência muito intensa e marcante, que condiciona muitas vezes a vida futura das pessoas que o sofrem, passando estas a sentir constantemente o receio de um novo ataque, chegando a evitar locais onde já sofreram ataques de pânico, o que poderá causar grandes constrangimentos a nível pessoal e profissional.

 

Quem sofre de ataques de pânico pode também interpretar sinais fisiológicos normais (como por ex. ouvir o bater do coração) de uma forma errada, assumindo que algo não está bem.

 

Esta situação gera uma ansiedade constante que potencia a ocorrência de um novo ataque de pânico, gerando assim uma espécie de ciclo que torna difícil a vida de quem sofre deste transtorno.

 

No entanto, os ataques de pânico têm quase sempre origem num conjunto de conflitos emocionais ou traumas passados que têm de ser ultrapassados. É também comum, por estes motivos, os ataques de pânico serem confundidos com a Depressão.

 

Como esta doença provoca diversos transtornos na vida pessoal e profissional de quem dela sofre, é fundamental combatê-la assim que se começam a manifestar os primeiros sintomas.