Pesquisa

Não existem registos

Não existem registos

Não existem registos

Endometriose


A Endometriose é uma doença que se caracteriza pelo crescimento de tecido endometrial (tecido que compõe o revestimento do útero), fora do útero, ou seja, este crescimento de tecido endometrial pode invadir estruturas às quais não pertence, nomeadamente:


• Os ovários
• Os ligamentos que sustêm o útero

 

E em casos menos frequentes:


• A superfície externa dos intestinos delgado e grosso
• Os ureteres
• A bexiga
• A vagina
• As cicatrizes cirúrgicas presentes no abdómen (caso existam)
• O revestimento interno da parede torácica
• Em casos mais raros os pulmões

 

O tecido endometrial fora do útero responde ao mesmo estímulo hormonal a que responde o tecido endometrial no útero, assim, a cada menstruação, este tecido pode sofrer hemorragias, intensificando as dores abdominais durante a menstruação e formando tecido cicatricial.

 

A Medicina Complementar tem, neste caso, como fundamental a avaliação do estado da imunidade, níveis de stress, bem como promover a uma alimentação personalizada e focada nas necessidades específicas da mulher com Endometriose.

 

Todos estes aspectos podem ser avaliados numa consulta de Medicina Quântica, consulta esta onde poderão também ser detectados os desequilíbrios existentes, promovendo-se ao seu subsequente tratamento, através do envio, para o organismo, de frequências electromagnéticas que equilibrarão os parâmetros em desequilíbrio.

 

O uso terapêutico de plantas medicinais, Homeopatia e Acupunctura serão também muito benéficas para o tratamento da endometriose.

 

O tecido endometrial fora da cavidade uterina e as aderências que forma noutros locais, podem interferir com a função de outros órgãos, e em casos raros as aderências podem inclusivamente bloquear o intestino.

 

Estima-se que entre 10% a 15% das mulheres que são menstruadas e que tenham entre 25 a 44 anos de idade, sofram de Endometriose, embora ela possa ocorrer também na adolescência.

 

Entre 25% a 50% dos casos de infertilidade relacionada com a mulher devem-se a Endometriose, pois esta condição pode impedir a fecundação, por bloqueio da passagem do óvulo, desde o ovário até ao útero.

 

Em muitos casos a Endometriose pode ser assintomática.

 

O facto de não existirem sintomas ou existirem sintomas muito intensos, não está relacionado ao facto da Endometriose ser mais ou menos grave, pois existem mulheres com a doença em grau mínimo que apresentam dores pélvicas muito intensas.

 

Para além da dor pélvica e abdominal, podem ainda existir irregularidades na menstruação e dor durante o coito.

 

Para mais informações, contacte a nossa Recepção e saiba tudo o que podemos fazer pela sua Saúde